carangueijo

CARANGUEJO E ROBERTA CLOSE


Um lugar agradável, sem nenhum grande luxo mas nem por isso uma birosca qualquer. É um restaurante de frutos do mar, deu para perceber, dos melhores na região. A Caldeirada é um bom começo para quem ainda não tem coragem de encarar outros pratos mais fortes. A casquinha de siri poderia vir em uma porção maior. A localização, esquina da Xavier da Silveira com a Barata Ribeiro, praticamente no meio do bairro. Não tem como errar. Fica só um pouco longe da estação da Siqueira Campos, mas de qualquer ônibus que entre em Copa consegues passar em frente. Lugar muito bem frequentado, inclusive com pessoas ilustres da mais fina flor carioca. Roberta Close por exemplo.


Sim, um dia a tomar um chopp ali em uma tarde de sábado eis que me entra a mulher que já foi considerada a mais bonita do Brasil, mas não era mulher, era quase. E nessa época o Caranguejo tinha uns espelhos no teto. Foi engraçado porque dava para ver o decote mais do que decotado dela. E como ela(e) é grande. Dá medo! Precisou ir ao banheiro e aí me bateu uma dúvida mordaz, ela(e) ia no feminino ou no masculino? Não me lembro se ela(e) havia cortado a manjubinha, mas de qualquer forma acabou entrando no feminino. Eu evitava ficar olhando muito, afinal de contas Roberta Close é uma pessoa como outra qualquer. Não que eu coma ela(e) mas realmente muito bonita(o) e gostosa(o). É do tipo que se ninguém sabe quem é fatura o bofe sim.

Voltando ao assunto, o chopp é honesto, mas tem dias em que tem de dar um chamada no garçom. Aliás, uma simpatia só. Na verdade eu tenho mais elogios ao lugar que dinheiro no bolso para poder pagar, porque apesar de tudo, de se tratar um restaurante de uma cidade no litoral, perto do mar e tudo mais, nada justifica o preço dos pratos. Outro dia saí de lá com quase R$ 80 a menos na carteira. Claro que não era só eu, estava acompanhado e realmente pedimos algumas porções extras. Houve também um bocado de chopp. O pior? Alguém na mesa não queria por nada neste mundo comer peixe ou coisa parecia. Optou por uma carne vermelha. Dá vontade não dá? Onde já se viu pedir um filet em um restaurante que se chama O Rei do Caranguejo. Um dia desses foi até engraçado, eu e uma amiga minha combinamos de caminhar no calçadão, hábito que perdemos com o tempo, todo domingo a gente fazia isso. Bem, de fato neste dia caminhamos, mas todo o exercício que fizemos se acabou em vários chopps, pirão, caldeirada de frutos, arroz e quantidades absurdas de azeite mais pimenta. Mal conseguíamos voltar para casa, foi duro mas foi muito gostoso.Mas enfim, pense que de repente vale pelo sabor, excelente! Um dia ainda consigo a receita da caldeirada deles… quase tão boa quanto a que comi em São Luis (MA). Aliás, depois de falar tanto de peixe me deu até fome. Estamos na semana santa, não? Vou tirar o atraso. Comer muito e depois só pedir uma coisa, uma rede bem aconchegante e uma tarde inteira para bodear porque depois disso só mesmo chapando.Manjubinha da Roberta Close… eu não acredito que fiz esta alusão.

Texto publicado originalmente no blog MORAVA EM COPACABANA

Um pensamento sobre “CARANGUEJO E ROBERTA CLOSE

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s