grace-slick

GRACE SLICK, MUSAS INSPIRADORAS, LSD, ANOS 70 E O QUE MAIS ME VEIO NA TELHA

WHITERABBIT
White Rabbit talvez seja uma das músicas mais lisérgicas que conheço. Embora a letra a princípio não faça muito sentido, para quem não consome drogas ou não é muito sensível por exemplo, a voz de Grace Slick, que veio a substituir a vocalista original do Jefferson Airplane.

White Rabbit
One pill makes you larger
And one pill makes you small
And the ones that mother gives you
Don’t do anything at all
Go ask Alice
When she’s ten feet tall
And if you go chasing rabbits
And you know you’re going to fall
Tell ‘em a hookah smoking caterpillar
Has given you the call
Call Alice
When she was just small
When men on the chessboard
Get up and tell you where to go
And you’ve just had some kind of mushroom
And your mind is moving low
Go ask Alice
I think she’ll know
When logic and proportion
Have fallen sloppy dead
And the White Knight is talking backwards
And the Red Queen’s “off with her head!”
Remember what the dormouse said:
“Feed your head
Feed your head
Feed your head”

Mas o post nem era sobre a música White Rabbit. Um papo sobre musas inspiradoras e o talento feminino em diversas vertendes trouxe Grace Slick para esta publicação. Não dá para falar dela sem entendermos sobre o que foi o projeto iniciado em 1965. A banda foi uma pioneira do movimento musical psicodélico. Suas encarnações posteriores do grupo original continuaram a tocar sob nomes diferentes, resultado direto dos anos e da formação da banda que mudou ao longo do tempo. Jefferson Starship, Starship e Jefferson Starship The Next Generation.

Mais detalhes em http://en.wikipedia.org/wiki/Jefferson_Airplane, uma pesquisa até meio óbvia mas em termos de bandas o Wikipedia ainda é uma referência confiável de pesquisa. Mas leiam o original, porque a tradução para português é lamentável de se ler.

O Jefferson Starship, uma “nova banda” formada a seguir deu continuidade ao projeto. Afora outros eventos que ocorreram com uma típica banda dos anos 70, o de alcoolismo de Slick tornou-se um problema para a banda, o que levou a duas noites desastrosas em concertos na Alemanha em 1978.

Na primeira noite os fãs se revoltaram por Slick não ter conseguido se apresentar. Na noite seguinte, completamente bêbada, Slick chocou a audiência profanando e fazendo referências sexuais na maioria de suas canções. Ela ainda lembrou o público que seu país havia perdido a Segunda Guerra Mundial, perguntando repetidamente “Quem ganhou a guerra?”, responsabilizando todos os alemães pelas atrocidades da guerra. Após esses ocorridos ela deixou a banda.

Grace Slick nasceu Evanston, região de Chicago, filha de Ivan W. Wing e sua esposa Virginia Barnett. Estudou em um colégio somente para garotas em Palo Alto, Califórnia, próximo a São Francisco, e após graduação estudou em Nova Iorque entre 1956 e 1958 e na Universidade de Miami entre 1957 e 1959. antes de entrar no mundo da música, exerceu a atividade de modelo por um curto período no início da década de 1960.

Ela manteve amizade com Janis Joplin no início de sua carreira musical, durando até o falecimento de Joplin por overdose em 4 de outubro de 1970. Ela também teve um relacionamento amoroso com Jim Morrison, e tinha contatos com Jerry Garcia, do The Grateful Dead.

Após sua participação no Starship, Slick deixou a banda em 1988 aos 48 anos. Uma breve reunião do Jefferson Airplane no ano seguinte e finalmente se aposentou da carreira musical. Virou pintora. Mais tarde participou de “Knock Me Out”, faixa do álbum In Flight de Linda Perry lançado em 1996 da trilha sonora do filme The Crow: City of Angels.

Escreveu uma autobiografia em 1998, “Grace Slick: Somebody to Love? A Rock and Roll Memoir”. Em 2006, sofreu diverticulite e após uma cirurgia inicial teve um relapso, exigindo um nova cirurgia e uma traqueostomia. Ela permaneceu em coma induzido por dois meses e teve que aprender a andar novamente depois.


Mas nem tudo é tão lisérgico assim e a voz de Grace Slick mostra o quanto é poderosa também nesta música, embora o Jefferson Airplane possua outras canções tão interessantes quanto White Rabbit e Somebody to Love, porém estas são as mais conhecidas do público que desconfia que banda foi esta. Confira abaixo outra canção com Grace Slick nos vocais, uma das melhores versões dela, tocada em Woodstock, ainda uma das primeiras formações da banda.

Grace Slick se não foi uma musa inspiradora deixou seu legado e sua voz para gerações que vieram a seguir. Foi namorada de Jim Morrison, um fato que para mim não deprecia seu valor, embora hoje tenha minhas restrições ao que o Doors fez.

Anos 70, uma década valiosa e muito doida. Pesquisem para ver.

PS: Este post foi escrito ouvindo When The Levee Breaks, Led Zeppelin. Esta sim uma banda que não se transformou tanto, deixou realmente algo de bom para o rock n roll. Perdeu para as drogas e para o tempo, como infelizmente as grandes bandas desta época também perderam mas até hoje guardamos na memória ou nos nossos mp3 portáteis – o que é o meu caso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s